terça-feira, maio 13

A Barbárie e a Indiferença

Eu sei que é sempre perigoso contar um sonho, mas não resisto a contar que sonhei com uma espécie de ritual de linchamento, onde uma multidão cega de raiva clamava pela morte e (sobretudo) tortura duns pobres coitados que desciam amarrados à espécie de carros alegóricos do cortejo bárbaro. Não que os visados tivessem feito algo de muito mau, seriam apenas diferentes, de outra etnia ou algo assim.

Tudo isto passava-se num cenário meu conhecido, onde havia pessoas conhecidas que assistiam à barbárie mais ou menos impávidas, umas tristes mas resignadas e ninguém (nem a autoridade) fazia nada.

Apenas publico aqui esta pseudo-reflexão inconsciente porque acho que tem que ver com a nossa esfera pública. A sensação que tenho (e que acho que motivou este meu sonho) é que isto está tudo entregue à bicharada e ninguém se importa. Eu importo-me, pelos vistos.

Etiquetas: ,

2 Comentários:

Blogger Claricinha disse...

A indiferença face ao sofrimento dos outros também me incomoda, percebo perfeitamente esse sentimento que transparece no teu sonho...

18:07  
Blogger filomena disse...

ola, vasco:
li a descrição do teu sonho, esbocei um sorrizinho ( estaria eu tb na tribuna?). Aconseho-te a ver um filme antigo que se chama "A noite dos gafanhotos" de Sam Pekinpah. o cheiro e o sabor adocicado do sangue da nossa espécie... é uma droga, meu amigo, uma droga!
beijocas da tua amiga coxinha,
Filomena

16:23  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial