segunda-feira, março 3

O jogo da mala educazione

No frente-a-frente com o Eduardo Barroso e o Miguel Relvas, no Mário Crespo, um deles dizia que se tinha perdido por completo o respeito e que havia faltas de educação quer dos professores para com a ministra quer da ministra para com os professores.

Discordo. Até hoje só vi faltas de educação (e da grossa) dos professores para com a ministra, desde canções que começam em "Marilu...." e acabam já se sabe aonde, aos sórdidos PPTs que vamos recebendo por mail em que mais não se consegue fazer senão ridículas rábulas desintéricas, cruzando lugares comuns da brejeirice com a vida privada da ministra.

Por muitos erros de implementação que a reforma possa ter, a verdade é que ela tem por detrás uma ideia que poucos sabem criticar verdadeiramente. Tal não impediu porém, que a larguíssima maioria dos professores se colocasse automaticamente contra. Contra, sempre contra. A estratégia é conhecida: não concordar nem discordar muito ao início, ficar de braços cruzados à espera: se algo corre mal critica-se tudo; se algo corre bem, vitimiza-se, aqui d'El Rei que nos estão a atacar, a humilhar, a rebaixar, a maltratar, ai coitadinhos de nós, que má que é a ministra. São raríssimos os casos em que se tomaram proactivamente medidas efectivas que visassem uma colaboração genuína.

Pura e simplesmente não houve, no grosso da classe, reconhecimento do trabalho que é preciso ser feito e um mínimo — um mínimo que fosse — de boa-vontade. E quando não há boa-vontade, pouco mais há a fazer. Aí a culpa vai inteirinha para os professores.

Etiquetas: ,

3 Comentários:

Blogger Claricinha disse...

"E quando não há boa-vontade, pouco mais há a fazer."

É difícil ter boa vontade quando as medidas são impostas, de forma arrogante e autoritária, sem a mínima consideração pela classe. A ministra devia ser mais inteligente e começar por não dividir pais e professores.

Quanto às medidas propriamente ditas, concordo com a maioria, simplesmente não foram passadas da melhor forma.

14:33  
Anonymous Galvão disse...

Concordo plenamente com você Vasco. O problema é que esta manifestação vai para além da questão da avaliação dos Profs. Eles sempre estiveram de pé atrás com ela (ministra), que começou...
- por sugerir que os professores que estão constantemente a faltar às aulas, por baixa (uma significativa % por razões psicológicas) que então deveriam ser reintegrados noutros serviços da função pública, porque é preciso ter-se perfil para se ser professor .

- por ter sugerido a redução do horário de trabalho sindical mensal - cerca de 10 % dos profs têm funções sindicais, que obviamente lhes retiram tempo para fazerem o que realmente devem fazer.

- por ter avançado com as aulas de substituição. Há horários de professores que são um ultraje para qq trabalhador que cumpra a sua obrigação. Inclusivé na maior parte da função pública. Segunda de manhã livre; terça à tarde livre; quarta, trabalho das 8h30 às 17H; Quinta, tarde livre; sexta sem aulas. E não inventei nada. Claro que há excepções.
É claro que o trabalho dos professores vai para além da sala de aulas. Mas tb o meu - e não sou professor - e também o dos alunos, que muitas vezes levam com cada biscoito a dar-lhes aulas que seriam melhor formados, sentados no sofá a ver a Tele-escola ou a rua sésamo. Mas enfim, essa é que é a maior irresponsabilidade do ME. Agora já desabafei, pronto. Neste dia em que passam 3 anos sobre o início desta legislatura, deixo um sinal de esperança aos que estão sempre a martelar-me a cabeça por causa destas questões PS/Sócrates/Governo: é que a razão está do lado da Ministra, mas todos têm direito à greve e ao direito de se manifestarem. Mas também devemos estar atentos aos sinais.

PS. Escrito à pressa. Estou a fazer uma faixa para o comício de sábado.

22:39  
Blogger Claricinha disse...

Galvão:
Eu fico espantada com tanta falta de conhecimento real da vida dos professores...esses que faltam são uma minoria, sabes bem disso. És socialista, e eu percebo que te sintas na obrigação de defender o governo, mas um bocadinho menos de retórica e mais conhecimentos de causa ficavam-te bem!
Já agora, viste os Prós e Contras ontem?

14:08  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial